quarta-feira, 20 de julho de 2016

Programas de milhagem

Programas de milhagem são coisas que todos querem saber mais ou participar, mais muitos não sabem bem como funcionam. O objetivo é juntar pontos a cada compra de passagem aérea, e se possível, também os pontos de uso do cartão de crédito.

Grande parte das companhias aéreas possuem seus programas próprios de fidelização. A Gol tem o Smiles, a Azul tem o "Tudo Azul", e a LATAM tem o Multiplus, a TAP tem o Victoria TAP, a British Airlines tem o Executive Club. O maior problema é que se você abre uma conta em cada programa de fidelidade, no final, você não vai conseguir acumular milhas suficientes em nenhum deles.

Por isso, as empresas costumam formar alianças. Nesse caso, companhias aéreas operando em diferentes países permitem que você jogue suas milhas de um vôo junto ao programa de Fidelidade de outra companhia. Por exemplo: se você voa com a Lufthansa, você pode jogar seus pontos para a LATAM e vice versa. Se você voa com a Gol, você pode jogar seus pontos para a TAP Victoria e vice versa. 

As duas maiores alianças são a One World e a Star Alliance. Idealmente, você deve ter apenas um programa de fidelidade por aliança, e escolher aquela companhia que você costuma voar com mais freqüência. Por exemplo, se você dividir seus pontos entre a LATAM e a Iberia, possivelmente você não irá acumular pontos suficientes em nenhuma delas. O ideal é jogar seus pontos para a LATAM, caso você viaje mais no Brasil, ou para a Iberia, caso você viaje mais pela Europa.

O maior problema são as empresas que não participam das alianças para a pontuação. Um exemplo é a Azul e a Norwegian Airlines. Os pontos de viagem nessas empresas só podem ser acumulados no  programa de milhagem da própria empresa.

Outro problema é que a contagem de milhas varia de empresa para empresa, e elas se alteram também com o tempo. No caso da TAM que virou LATAM, o programa de milharem foi alterado e o sistema de pontuação também (leia mais no Melhores Destinos).

Fora isso, há casos de empresas em uma aliança permitindo pontuar em outra. Por exemplo, o Programa Miles and More (Lufthansa, Star Alliance) pode receber pontos de vôos operados pela LATAM (membro One World).

Outro caso são empresas que não são membros das alianças, mas que permitem pontuar em uma. Um exemplo é a Royal Air Maroc que permite transferir os pontos para a Iberia.

Enfim. Não é difícil, mas também não é tão simples como parece. Espero que essas informações possam ajudar aos novatos na questão das milhas aéreas. Abaixo coloco as informações das duas principais alianças.

ONE WORLD

Empresas membro da One World


Star Alliance


Empresas membro da Star Alliance

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Couchsurfing no Marrocos

Mulheres, este post é pra vocês.

Seguinte: vários lugares do mundo são machistas, mas o Marrocos é o primeiro da minha lista de locais visitados. Nunca sofri tanto assédio na rua e virtual quanto no um ano que morei lá. Acho o Brasil mais perigoso para mulheres, mas definitivamente, o Marrocos é mais chato. 

Como o país não é laico, o povo marroquino está submetido a uma lei civil muçulmana que impede pessoas de sexo opostos morem juntas, sexo antes do casamento, etc. etc. E para casar, além de achar um "amor", o homem marroquino tem que ter dinheiro suficiente para pagar o dote e bancar a esposa. Dito isto, teoricamente, todo homem marroquino solteiro é virgem. Tenha ele 15 ou 30 anos. E bem sabemos como a espécie humana se comporta, e que "o que os olhos não vêem a legislação não vê".

O que acontece é uma esquizofrenia sem tamanho. A maior parte dos homens vê as mulheres ocidentais como a oportunidade para tirar "a barriga da miséria", seja apenas para um romance, ou até mesmo para um relacionamento a longo prazo: namoro ou casamento. As ocidentais não pedem dote, e ainda podem dar acesso a um passaporte novo. Não me levem a mal, não são todos, mas o número de casais de verão ou a longo prazo que existem, em que um homem é marroquino e a mulher é estrangeira é alto. 

Já o oposto não acontece tão fácil, porque as mulheres tem bem menos liberdade para flertar, andar sozinha, etc., além de quê, para um casamento misto entre uma mulher marroquina e um homem não marroquino acontecerem, o homem deve obrigatoriamente converter-se ao islã. No oposto disso, a mulher estrangeira pode guardar sua fé cristã-judaica-budista-ateísta.

Isso tudo para voltar ao tema do Couchsurfing: olho guria!
Couchsurfing no Marrocos, com muito cuidado! Prefira mulheres, e caso hospede-se com homens, prepare-se para em 90% dos casos lidar com assédio. 

Caso esteja de mudança para lá, leia o que deixei escrito no meu perfil do Couchsurfing no período que fiquei lá, depois de já não aguentar mais receber mensagens de flerte na minha caixa de mensagens.

"NOT A DATING PAGE!!!
(note Mainly written for Moroccan guys, since online harassment has started since I've moved here)
Just write me if you need a couch and/or we really share the same values/interests and this would allow a genuine friendship. I'm a feminist!
I have a special album with screenshots of flirting messages and If I consider your message a flirt, you'll be screenshot and posted in my album. 
I use this network for hospitality and it annoys me to receive messages like "hi" or "hi, how tall are you?" "I want to meet" , always coming from men.
Let's all avoid that! This is not tinder! "
Eu saí para tomar um café com dois moços que me escreveram pelo Couchsurfing, e não começaram com conversa mole mas com um texto bem elaborado e não machista para compartilhar cultura . No fim, eles se assustaram com meus papos feministas e nunca mais nos vimos.

Sobre os outros que estavam me escrevendo, criei um álbum de fotos com os prints das conversas furadas deles.  Porque né, se tem algo de bom que a internet nos deu é o direito de fazer print das bobagens alheias.

Pra dar mais exemplos do que eu estou falando, em 2012 um anfitrião marroquino vivendo na Inglaterra estuprou a hóspede dele. Não que isso vá sempre acontecer, mas eu nunca na vida fui tão tratada como um objeto do que quando vivi no Marrocos. Pra evitar problemas, quando necessário, dizia que era casada, porque deixo de ser um objeto sem dono para ser o objeto de valor de alguém.
Aproveitando de um outro relato do blog "Destination Anywhere", a autora também explica da questão do negócio Couchsurfing no Marrocos. Muita gente usa a página para vender serviços e hospedagem. Um esquema meio marroquino. Te hospeda, mas te obriga a ir fazer o tour no deserto com a empresa da família dele. Ou comprar umas coisas na lojinha do primo. Leiam esse relato, porque é muito divertido e tem outras histórias. Quando me hospedei em Ouarzazate, acabei deixando um bom dinheiro pela comida oferecida pela mulher. Claro que eu adoraria dividir os custos e oferecer algo em troca, mas ficou clara a relação naquele momento, de que ter um couchsurfer em casa ajudava o orçamento doméstico daquela família.

Em algum momento preparo um post mais detalhado sobre segurança/comportamento de mulheres no  Marrocos. Tem coisas importantes como evitar contato visual com homens ao andar na rua, que é importante saber. Já de volta ao Brasil, também ouvi umas histórias meio arrepiantes de mulheres que  desapareceram no Marrocos. Mas infelizmente, há poucos dados sobre isso.

Foi na minha casa no Marrocos que eu também criei uma longa lista de regras disponível no Dropbox, que pode ser útil para outras pessoas hospedando. Sugiro sempre definir bem os limites para os hóspedes.
Acompanhem meu blog, e se tiverem mais dúvidas, comente ou envie mensagem pela parte do contato. Boa viagem!


quinta-feira, 12 de maio de 2016

Transporte terrestre para a Croácia

Quando uma viagem não é organizada com antecedência, quase sempre a única opção de transporte pagável são os ônibus.

A Croácia possui uma costa imensa, inúmeras praias e ilhas e no Mar Adriático, e decidir-se sobre qual ponto visitar pode se tornar uma aventura. Para ir a outros pontos do país, pode ser mais fácil chegar em Zagreb, passar uma noite, e continuar a viagem no dia seguinte.

Há até uma boa oferta de ônibus saindo de Viena para a capital croata, e a passagem custa quase sempre em torno de 30 euros. Já o trem, entre 60 e 80 euros.


Ônibus
Segue a lista das empresas que operam para a Zagreb saindo de Viena. A viagem dura em média 5 horas.

Bus Croatia - Passagem de/para Viena custa em torno de 30 euros. Vários horários por dia.

Arriva Slovenia - Apenas um horário por dia, saindo às 16h00 de Viena e chegando às 21h30 em Zagreb. Passa também por Maribor, na Eslovênia.

FlixBus - a empresa alemã Flixbus também faz esse trajeto com preços de 25 à 50 euros. Apenas 3 horários por dia: 08:00, 11:30 e 15:30. Ônibus saem de Erdberg (U3 do metrô de Viena)


quarta-feira, 11 de maio de 2016

Vivendo no exterior - legalizar documentos

Viver no exterior implica em muita burocracia. E uma delas chama-se legalização de documentos.

Se você pretende morar, estudar ou migrar para outro país, prepare-se para a "Legalização consular". É um serviço realizado no Brasil gratuitamente pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE).

Atualização: ATENÇAO: a partir de 14 de agosto de 2016 não há mais Legalização, e os documentos passam a ser feitos via Apostila de Haia. O serviço é feito pelos cartórios.

Mas pra que serve? Pra quase tudo no exterior: residência, matrícula em universidade, casar, pra muita coisa. Em vários serviços, públicos ou não, a legalização é necessária. Para a tradução juramentada de um diploma, por exemplo, a legalização do mesmo também é necessária.

A legalização é uma espécie de autenticação, para que um documento emitido no Brasil possa ser reconhecido em outro país. Tudo está bem detalhado no "Portal Consular". Quase sempre, se o documento contém assinaturas, essas precisam ser reconhecidas em cartório antes de irem para a  legalização. No caso de documentos acadêmicos, o reconhecimento de firma é compulsório. Cópias autenticadas de documentos também podem ser legalizadas. E no caso de documentos emitidos por cartório, como certidões de nascimento, casamento, óbito, as mesmas não precisam ser nem autenticadas nem ter as assinaturas conferidas, visto que é o próprio cartório quem emite a mesma.

Para documentos emitidos no Estado de São Paulo, existe o ERESP, que faz o serviço pelos Correios ou em atendimento presencial. Demora um pouco, e precisa de pagar alguns reais em selos. Para toda legalização, é necessário preencher um formulário de solicitação.

Síntese do processo de legalização:

  • Separar documentos a serem legalizados
  • Se necessário, fazer cópias autenticadas
  • Reconhecer firma das assinaturas
  • Imprimir e preencher formulário de requerimento da legalização
  • Ir até o escritório do MRE ou enviar os documentos pelos Correios, com os selos para envio de volta.
  • No caso dos Correios, aguardar o retorno da documentação.
  • Traduzir (juramentada) os documentos para a língua do país de destino.


A legalização acontece também no sentido inverso. Documentos emitidos no exterior, para terem validade no Brasil, precisam ser legalizados pelo Ministério de Relações Exteriores do país de origem. Há algumas exceções para isso, em países com os quais o Brasil tem relações bilaterais. Por exemplo, com a França, as legalizações não são necessárias.

No caso do retorno ao Brasil, o documento precisa ter as assinaturas reconhecidas no país de origem, depois validadas pelo Ministério de Relações Exteriores do país onde o documento foi emitido, para só então ser legalizado pelo Consulado. Passei por todo esse procedimento no Marrocos para trazer meu gato.

Então, se você planeja deixar o país, aproveite para legalizar documentos importantes antes da sua partida.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Viajando na Áustria - como usar os trens gastando menos

O transporte urbano na Áustria funciona quase sempre maravilhosamente bem, com uma ótima relação custo-benefício. Mas quando o objetivo é viajar para outras cidades além de Viena, a conta aperta.

A oferta de ônibus intermunicipais é baixa (Flixbus é a única que conheço), o sistema de caronas é pouco divulgado no país, e o trem é extremamente caro. A OEBB detém um quase monopólio das vias férreas e trens do país. Mas há uma solução para reduzir os danos.

Se você planeja passar uma temporada mais longa na Áustria, a melhor opção é comprar um Vorteilscard. Trata-se de um cartão com validade de um ano, e que costuma gerar descontos de 25% a 50% nas tarifas dos trens.

Para seres "normais", humanos com idade entre 26 e 62 anos, o valor é de 99 euros. Para jovens e idosos há ainda um valor da anuidade é menor. Quem tem até 26 anos (leia-se 25 anos e 364 dias) o valor é 19 euros. Os idosos maiores de 62 anos, também só pagam 29 euros na anuidade.

Para quem viaja em família, crianças de até 5 anos acompanhadas de um adulto ou adolescente viajam gratuitamente nos trens. Se os filhos tem idade entre 5 e 15 anos, é possível comprar um cartão anual para viajar com até 4 crianças, pagando apenas 19 euros.

Então assim: viajar de trem aqui é caro, mas planejando bem e pensando nesses cartões, sai até barato.

Baixe aqui o pdf do Vorteilscard (em alemão).

Para quem não quer comprar o Vorteilscard, alguns trajetos, incluindo Viena, Linz e Salzburgo, a opção mais barata é empresa Westbahn.

Boa viagem!

quinta-feira, 10 de março de 2016

Couchsurfing - a minha experiência como anfitriã

Sobre o Couchsurfing, preciso fazer um pequeno post sobre a minha experiência como anfitriã.


No período em que eu vivi no Marrocos, passei por várias saias justas com hóspedes. Gente dizendo que chegava as 8 da noite, e já era 11 e meia e não tinha dado as caras. Custa ligar?

Ou pessoas trazendo carne pra casa de uma vegetariana que fala disso umas mil vezes no perfil.

Acordando tarde, não ajudando a preparar o café da manhã, esperarem serem servidos, e nem se dando ao trabalho de lavar a louça durante o dia enquanto eu estava no trabalho.

Prolongando a estadia em um dia, porque tá gostoso e o próximo hóspede ainda não respondeu.

E a pior de todas: uma menina que decidiu colocar a calcinha dela para secar em cima da minha, no gancho que eu pendurava.

Para isso, eu criei um guia de regras para a boa convivência, que eu compartilhava com os hóspedes antes e na hora da chegada.

Ele está em inglês, mas se vocês quiserem se inspirar ele está disponível num dropbox aqui.
Adapte conforme as suas necessidades.

Continuo adorando o Couchsurfing. Conviver com essa diversidade de pessoas me faz crescer como ser humano, entendeu meus limites, minhas zonas de conforto, onde eu me sinto confortável ou não. É um lindo treino para a vida coletiva, seja com amigos, seja com parceiros.

E o mais importante: me faz perceber que nada é óbvio, nada é normal. Tudo parte do nosso paradigma cultural, da nossa criação, das nossas famílias, da nossa convivência humanas e das experiências vividas. NADA É NORMAL. O outro enxerga o mundo e as coisas a sua forma. Comunicar as nossas necessidades sem julgar os outros é extremamente importante.

sábado, 5 de março de 2016

A nova São José dos Campos

Eu sou joseense, e me exilei da cidade há mais de 12 anos. Voltei meio ao acaso, e porque meus pais ainda moram por aqui. E nesses 3 meses de vida joseense, deu tempo de me reaproximar da cidade.

Quando saí daqui, dizia que os pilares da sociedade joseense eram:
  • O cuida da vida dos outros (herança da tradicional família mineira)
  • O cartesianismo dos engenheiros (EMBRAER, ITA, e todo o polo industrial)
  • A caretice (herdada dos milico - FAB, CTA e cia).
Mas, para minha feliz surpresa, São José está se modificando: para felicidade de uns e tristeza de outros.

Não vou aqui entrar nas nuances da nova São José, mas apresentar meu pequeno guia para coisas boas e úteis na cidade.

Se faltou algo, por favor, acrescente nos comentários que editarei este texto com o maior prazer.

O que fazer

SESC SP
O SESC sempre existiu, mas o SESC de hoje não é o mesmo de 15 anos atrás. Há 15 anos atrás, o meu uso máximo do SESC foi escalar num paredão improvisado nas escadas numa noites da semana, com os amigos de uma amiga. Tudo no improviso.

Hoje, há uma programação mensal super elaborada e cheia de novidades. Em janeiro consegui fazer cursos de Esgrima e Arco e Flecha. Mas há atividades físicas variadas durante todo o ano. E o melhor: muita coisa gratuita.

O SESC também te oferece uma vasta oferta de show, artistas novos, e peças de teatro. "No meu tempo", teatro era só no Shopping do Centro de SJC, e era mais usado para as apresentações de fim de ano das escolas de dança do que pra espetáculos e peças de teatro.

Fora isso, todo domingo tem cinema às 18h00, e a programação é sempre melhor do que qualquer sala de cinema da cidade. E outra vez: é grátis.


Fundação Cultural Cassiano Ricardo (e o Parque da Cidade)
O Parque da Cidade abriga inúmeras atividades culturais, principalmente oficinas de dança e música.
Na sexta às 19h00 tem Maracatu.
E em muitos finais de semana, há apresentações de peças de teatro. Além do Parque da Cidade, as atividades também ocorrem na Casa de Cultura Chico Triste e outros locais.


Vinhos de Bicicleta
A "Vinhos de Bicicleta" é uma loja de vinhos, e não um bar. Mas às quintas-feiras, o espaço se modifica, e além de vinho bom e barato, você ouve jazz de primeira no primeiro Wine Bar da cidade. Sim, eu recomendo, e muito.
O Vinhos de Bicicleta também tem um clube de assinantes de vinhos, que oferece uma oferta linda com bons preços de vinhos artesanais.


Hopfields
A grande promessa de bar alternativo de SJC estava fechada logo que eu cheguei por conta de uma reforma. Perdi umas 3 viagens até lá para dar com as portas fechadas. Mas sim, depois que abriu, o negócio é bom mesmo. Chope artesanal joseense a preços acessíveis, ampla gama de cervejas importadas, e um hambúrguer vegetariano no cardápio. Porque sim, comida vegetariana finalmente se popularizou nessa cidade.

Sala e grupo de teatro no São Dimas. Além de cursos livres, há sempre algumas peças em cartaz.

Balada - Hocus Pocus
O Hocus Pocus é um santinho com música ao vivo boa, e lugar pra dançar. 

Espaço Manipura - Espaço para Cuidar do Ser
O Espaço Manipura oferece diversas atividades neo-hippies: massagem, curso de yoga, constelação familiar, roda de mulheres, oficinas de culinária, meditação.
Olhar a programação mensal deles.

Aos finais de semana, há diversas atividades organizadas dentro do parque, de feiras a oficinas. Durante a semana, há exibições de filmes na na Sala de Leitura Reginaldo Poeta.

Agenda Cultural de São José do Campos
Há um grupo no Facebook onde é possível encontrar informações atualizadas dos eventos acontecendo na cidade. (Clique aqui)

Utilidade Pública

Usados e Freecycle
Há um grupo de Trocas e Vendas no Facebook. (Clique aqui).
Também criei um grupo Freecycle e tentei organizar uma feira de trocas, mas ele tem baixíssima adesão por enquanto.

Grupos de Caronas
Para Campinas
Para São Paulo
Para o Rio de Janeiro

Onde comer

A recomendação de onde comer é enviesada sim: só os locais vegetarianos e veganos da cidade. Hoje em dia, SJC tem até restaurante vegano. Sonha com isso há 15 anos atrás!

Consciência Restaurante Natural
O Restaurante Consciência é o mais antigo vegetariano de SJC, porém, apenas a unidade da Avenida José Longo continua vegetariana (o do Centro e Satélite servem carnes e peixes).
Eles seguem os preceitos da Igreja Adventista, então é fechado aos sábados.
Além do restaurante, eles abriram uma loja/mercearia de produtos naturais, e lá você encontra de tudo da alimentação vegetariana, vegano, e alternativa.

Restaurante e café que ficam dentro do Espaço Manipura. O almoço é um tipo de PF por dia.
O café, infelizmente fecha cedo, as 19h00.

Primeiro restaurante vegano de SJC, também fica no Jardim Maringá. Para o almoço, oferecem um tipo de PF. Aos domingos, eles abrem para um brunch vegano!

O Temperama não é um restaurante, mas um delivery de comida vegana. Eles também oferecem algumas oficinas de culinária vegana.

O Krhsna é o único restaurante Hare Krishna de SJC. Eles tem duas opções de menu por dia, uma delas veganas. Fechado aos domingos.
Seguem os preceitos da culinária védica, então os tempero não levam alho e cebola.

Trabalham com encomendas de refeições, mas também salgados e doces: bolo, brigadeiro, pão de "queijo", esfirra, etc.
Fazem ovos para a páscoa, panetones para Natal.

A Família Verde entrega marmitas veganas em São José, e estão presentes na Feira Orgânica de sábado no Esplanada.


Orgânicos

FEIRAS

Feira do Esplanada - A única feira oficial de orgânicos, no sábado das 7 as 14h00. 

Feira da Vila Ema - Aos domingos, em uma loja na Rua Madre Paula.

Feira Agroecológica do Parque Vicentina Aranha - Acontece aos domingos, quinzenalmente. Procurar na programação de atividades do parque.


LOJAS
Loja "Natural Delivery" - Na pracinha do Maringá.

VitaSol - Além dos produtos orgânicos, tem pães, quiches e tortas fresquinhas todos os dias.

VitaDelivery - Loja virtual que entrega em SJC. 


CESTAS

Gaia Produtos Naturais - Delivery de cestas de produtos orgânicos.

Horta na Cesta - A cesta é preparada em Salesópolis, mas aparentemente eles também fazem entregas em SJC.