domingo, 15 de janeiro de 2017

Orgânicos na Áustria

A Áustria é o país que mais produz orgânicos (proporcionalmente a toda sua agricultura) na União Europeia. Os produtos orgânicos estão disponíveis em todos os supermercados, dos mais caros (Merkur), aos tradicionais (Billa, Spar) aos populares (Hofer, Penny).

Além das grandes redes, há lojas especializadas em orgânicos. A rede Denn's Biomarkt é a principal loja de orgânicos no país.

Mas além das lojas tradicionais, Viena tem outros circuitos de distribuição, incluindo as cestas, CSA e as Cooperativas de Consumo (FoodCops).

Adamah é uma loja física e virtual, que entrega cestas em casa. O sistema das FoodCops é um pouco mais elaborado, e demanda tempo para participar. Em breve explico melhor, mas uma lista de como elas se organizam nos distritos de Viena e outras cidades da Áustria está disponível na páginas deles, foodcops.at .

Há também feiras especializadas em orgânicos. A Freyung, além de orgânica, é de produtores locais. Ela é pequena, e acontece às sextas e sábados. Josefstadt é outra opção ao sábados (das 9 as 13h00). Os produtos da Adamah estão disponíveis às sextas-feiras no WUK (Werkstätten und Kulturhaus).
Uma lista a maioria das feiras de Viena está disponível aqui em alemão.

Um bônus: o mercado de Natal de Karlzplatz, é 100% orgânico. Todos os alimentos e bebidas vendidos por lá são certificados, e a maior parte dos produtos vendidos é trabalho artístico e artesanal da mais alta qualidade. Recomendadíssimo!



sábado, 14 de janeiro de 2017

Hidromel

Finalmente, nas festas de Natal de 2016, tive a chance de provar o famoso Hidromel.
Morando no Brasil, isso era pra mim lenda urbana, bebida dos antigos vikings pré-idade média. Até que em um mercado de Natal em Bratislava, Eslováquia, a bebida era vendida em quase todas as barracas.

Em inglês, o hidromel é conhecido como "Mead". Em alemão, Honigwein. E na Eslováquia, Medovina.

É uma bebida alcóolica, levemente adocicada, que no inverno é bebida inclusive aquecida (como um vinho quente.

Na Áustria, um dos locais onde se pode comprar é a loja Apimea.
No Brasil, há algumas marcas produzindo a partir das receitas européias: Valhala (Campos do Jordão), Skald (Rio de Janeiro) e IggDrasill.

Alguém mais já provou?
O que achou?
Se conhece outras marcas, por favor, adicione nos comentários!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Concertos grátis ou baratos em Viena

Viena abriga uma grande parte da história da música clássica, e ainda hoje é um ponto de encontro de músicos e suas criações!

No fim do ano, há muitos concertos gratuitos em cada distrito. O "Akultura" organizou e Dezembro um concerto no Distrito 15, e a entrada era gratuita reservando antecipadamente.

As igrejas também são uma ótima oportunidade de se ouvir boa música, sobretudo órgão. Ir à missa tem esse atrativo interessante aqui na Áustria.

E por fim, os ingressos de última hora nas óperas e teatros. uma hora antes do espetáculo, são vendidos ingressos para se assistir a óperas, ballets e concertos em pé, ao custo de 3 ou 4 euros. Mas muitas vezes, eles são disputadíssimos! Tem mais informação sobre isso em inglês clicando aqui.


Viajar de ônibus saindo de Vienna

Viajar de ônibus é muitas vezes a opção mais barata de transporte. Possivelmente a viagem irá ser longa (se decidir ir à Paris-54 euros ou Moscou - 102 euros), mas o custo pode compensar.

O site da rodoviária de Vienna (StadioCenter) fornece uma lista com as rotas e o preços.

Infelizmente, não é possível comprar as passagens diretamente com eles, mas olhar as empresas que operam e ser direcionado para as páginas delas. Uma lista dos preços está disponível em um pdf (baixar clicando aqui). A compra no local deve ser feita com dinheiro, e também é necessário apresentar documento de viagem (no caso, imprescindível levar o passaporte).

O outro terminal internacional de Vienna é Erdberg, e a maior parte das linhas operadas pela Eurolines saem de lá! A maior vantagem da Eurolines é poder comprar a passagem online, mas nesse caso, você também precisa imprimí-la.

Em geral, são autorizadas duas malas despachadas nestes ônibus.

Boa viagem!


quarta-feira, 20 de julho de 2016

Programas de milhagem

Programas de milhagem são coisas que todos querem saber mais ou participar, mais muitos não sabem bem como funcionam. O objetivo é juntar pontos a cada compra de passagem aérea, e se possível, também os pontos de uso do cartão de crédito.

Grande parte das companhias aéreas possuem seus programas próprios de fidelização. A Gol tem o Smiles, a Azul tem o "Tudo Azul", e a LATAM tem o Multiplus, a TAP tem o Victoria TAP, a British Airlines tem o Executive Club. O maior problema é que se você abre uma conta em cada programa de fidelidade, no final, você não vai conseguir acumular milhas suficientes em nenhum deles.

Por isso, as empresas costumam formar alianças. Nesse caso, companhias aéreas operando em diferentes países permitem que você jogue suas milhas de um vôo junto ao programa de Fidelidade de outra companhia. Por exemplo: se você voa com a Lufthansa, você pode jogar seus pontos para a LATAM e vice versa. Se você voa com a Gol, você pode jogar seus pontos para a TAP Victoria e vice versa. 

As duas maiores alianças são a One World e a Star Alliance. Idealmente, você deve ter apenas um programa de fidelidade por aliança, e escolher aquela companhia que você costuma voar com mais freqüência. Por exemplo, se você dividir seus pontos entre a LATAM e a Iberia, possivelmente você não irá acumular pontos suficientes em nenhuma delas. O ideal é jogar seus pontos para a LATAM, caso você viaje mais no Brasil, ou para a Iberia, caso você viaje mais pela Europa.

O maior problema são as empresas que não participam das alianças para a pontuação. Um exemplo é a Azul e a Norwegian Airlines. Os pontos de viagem nessas empresas só podem ser acumulados no  programa de milhagem da própria empresa.

Outro problema é que a contagem de milhas varia de empresa para empresa, e elas se alteram também com o tempo. No caso da TAM que virou LATAM, o programa de milharem foi alterado e o sistema de pontuação também (leia mais no Melhores Destinos).

Fora isso, há casos de empresas em uma aliança permitindo pontuar em outra. Por exemplo, o Programa Miles and More (Lufthansa, Star Alliance) pode receber pontos de vôos operados pela LATAM (membro One World).

Outro caso são empresas que não são membros das alianças, mas que permitem pontuar em uma. Um exemplo é a Royal Air Maroc que permite transferir os pontos para a Iberia.

Enfim. Não é difícil, mas também não é tão simples como parece. Espero que essas informações possam ajudar aos novatos na questão das milhas aéreas. Abaixo coloco as informações das duas principais alianças.

ONE WORLD

Empresas membro da One World


Star Alliance


Empresas membro da Star Alliance

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Couchsurfing no Marrocos

Mulheres, este post é pra vocês.

Seguinte: vários lugares do mundo são machistas, mas o Marrocos é o primeiro da minha lista de locais visitados. Nunca sofri tanto assédio na rua e virtual quanto no um ano que morei lá. Acho o Brasil mais perigoso para mulheres, mas definitivamente, o Marrocos é mais chato. 

Como o país não é laico, o povo marroquino está submetido a uma lei civil muçulmana que impede pessoas de sexo opostos morem juntas, sexo antes do casamento, etc. etc. E para casar, além de achar um "amor", o homem marroquino tem que ter dinheiro suficiente para pagar o dote e bancar a esposa. Dito isto, teoricamente, todo homem marroquino solteiro é virgem. Tenha ele 15 ou 30 anos. E bem sabemos como a espécie humana se comporta, e que "o que os olhos não vêem a legislação não vê".

O que acontece é uma esquizofrenia sem tamanho. A maior parte dos homens vê as mulheres ocidentais como a oportunidade para tirar "a barriga da miséria", seja apenas para um romance, ou até mesmo para um relacionamento a longo prazo: namoro ou casamento. As ocidentais não pedem dote, e ainda podem dar acesso a um passaporte novo. Não me levem a mal, não são todos, mas o número de casais de verão ou a longo prazo que existem, em que um homem é marroquino e a mulher é estrangeira é alto. 

Já o oposto não acontece tão fácil, porque as mulheres tem bem menos liberdade para flertar, andar sozinha, etc., além de quê, para um casamento misto entre uma mulher marroquina e um homem não marroquino acontecerem, o homem deve obrigatoriamente converter-se ao islã. No oposto disso, a mulher estrangeira pode guardar sua fé cristã-judaica-budista-ateísta.

Isso tudo para voltar ao tema do Couchsurfing: olho guria!
Couchsurfing no Marrocos, com muito cuidado! Prefira mulheres, e caso hospede-se com homens, prepare-se para em 90% dos casos lidar com assédio. 

Caso esteja de mudança para lá, leia o que deixei escrito no meu perfil do Couchsurfing no período que fiquei lá, depois de já não aguentar mais receber mensagens de flerte na minha caixa de mensagens.

"NOT A DATING PAGE!!!
(note Mainly written for Moroccan guys, since online harassment has started since I've moved here)
Just write me if you need a couch and/or we really share the same values/interests and this would allow a genuine friendship. I'm a feminist!
I have a special album with screenshots of flirting messages and If I consider your message a flirt, you'll be screenshot and posted in my album. 
I use this network for hospitality and it annoys me to receive messages like "hi" or "hi, how tall are you?" "I want to meet" , always coming from men.
Let's all avoid that! This is not tinder! "
Eu saí para tomar um café com dois moços que me escreveram pelo Couchsurfing, e não começaram com conversa mole mas com um texto bem elaborado e não machista para compartilhar cultura . No fim, eles se assustaram com meus papos feministas e nunca mais nos vimos.

Sobre os outros que estavam me escrevendo, criei um álbum de fotos com os prints das conversas furadas deles.  Porque né, se tem algo de bom que a internet nos deu é o direito de fazer print das bobagens alheias.

Pra dar mais exemplos do que eu estou falando, em 2012 um anfitrião marroquino vivendo na Inglaterra estuprou a hóspede dele. Não que isso vá sempre acontecer, mas eu nunca na vida fui tão tratada como um objeto do que quando vivi no Marrocos. Pra evitar problemas, quando necessário, dizia que era casada, porque deixo de ser um objeto sem dono para ser o objeto de valor de alguém.
Aproveitando de um outro relato do blog "Destination Anywhere", a autora também explica da questão do negócio Couchsurfing no Marrocos. Muita gente usa a página para vender serviços e hospedagem. Um esquema meio marroquino. Te hospeda, mas te obriga a ir fazer o tour no deserto com a empresa da família dele. Ou comprar umas coisas na lojinha do primo. Leiam esse relato, porque é muito divertido e tem outras histórias. Quando me hospedei em Ouarzazate, acabei deixando um bom dinheiro pela comida oferecida pela mulher. Claro que eu adoraria dividir os custos e oferecer algo em troca, mas ficou clara a relação naquele momento, de que ter um couchsurfer em casa ajudava o orçamento doméstico daquela família.

Em algum momento preparo um post mais detalhado sobre segurança/comportamento de mulheres no  Marrocos. Tem coisas importantes como evitar contato visual com homens ao andar na rua, que é importante saber. Já de volta ao Brasil, também ouvi umas histórias meio arrepiantes de mulheres que  desapareceram no Marrocos. Mas infelizmente, há poucos dados sobre isso.

Foi na minha casa no Marrocos que eu também criei uma longa lista de regras disponível no Dropbox, que pode ser útil para outras pessoas hospedando. Sugiro sempre definir bem os limites para os hóspedes.
Acompanhem meu blog, e se tiverem mais dúvidas, comente ou envie mensagem pela parte do contato. Boa viagem!


quinta-feira, 12 de maio de 2016

Transporte terrestre para a Croácia

Quando uma viagem não é organizada com antecedência, quase sempre a única opção de transporte pagável são os ônibus.

A Croácia possui uma costa imensa, inúmeras praias e ilhas e no Mar Adriático, e decidir-se sobre qual ponto visitar pode se tornar uma aventura. Para ir a outros pontos do país, pode ser mais fácil chegar em Zagreb, passar uma noite, e continuar a viagem no dia seguinte.

Há até uma boa oferta de ônibus saindo de Viena para a capital croata, e a passagem custa quase sempre em torno de 30 euros. Já o trem, entre 60 e 80 euros.


Ônibus
Segue a lista das empresas que operam para a Zagreb saindo de Viena. A viagem dura em média 5 horas.

Bus Croatia - Passagem de/para Viena custa em torno de 30 euros. Vários horários por dia.

Arriva Slovenia - Apenas um horário por dia, saindo às 16h00 de Viena e chegando às 21h30 em Zagreb. Passa também por Maribor, na Eslovênia.

FlixBus - a empresa alemã Flixbus também faz esse trajeto com preços de 25 à 50 euros. Apenas 3 horários por dia: 08:00, 11:30 e 15:30. Ônibus saem de Erdberg (U3 do metrô de Viena)