segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Como transferir a carteira de motorista para a Áustria

Os brasileiros residentes na Áustria apenas podem dirigir com a carteira brasileira (ainda que ela esteja internacionalizada) por um período máximo de 6 meses. Ou seja: se você migrou para a Áustria, para o resto da vida ou apenas por um período superior a esses 6 meses, terá que transferir sua carteira para cá.

No caso da carteira de motorista brasileira, não é necessário fazer uma prova teórica, mas uma prova prática. O problema é que na prova prática, podem ser cobrados conteúdos teóricos, então é importante se preparar para as pequenas diferenças no modo de dirigir, além da sinalização do trânsito. Por isso, é recomendável estudar o código do trânsito daqui. Em muitas auto-escolas, é possível comprar um Scriptum (o livrinho com as regras).

Sobre a migração em si, o caminho mais fácil para se informar  é ir pessoalmente até uma auto-escola (Farhschule) e eles irão passar as informações necessárias. Mas de qualquer maneira, existe um caminho que deve ser pessoalmente por você.
Um deles, é providenciar todos os seguintes documentos ao Verkehrsamt (SVA), que seria o equivalente ao nosso DETRAN:

  • Tradução da carteira de motorista: Pode ser feita na hora por 18 euros na ÖAMTC. Os endereços de Viena estão disponíveis aqui.
  • Exame médico: a lista dos médicos licenciados por distrito está disponível aqui. Costuma custar 35 euros.
  • Formulário de requerimento (você retira e preenche diretamente no SVA.
  • Documento para a prova prática, preenchido e assinado por uma auto-escola (este é oferecido pela auto-escola).
  • Foto tamanho passaporte (a oficial de toda a Europa).

Precisa levar também, original e 2 cópias dos seguintes documentos:
  • Passaporte
  • Registro de residência (Meldezettel)
  • Carteira de motorista
O endereço do LPD (Landespolizeidirektion) em Viena, onde fica a SVA (Sicherheits-und Verwaltungspolizeiliche Abteilung é Dietrichgasse 27, no terceiro distrito. Eles funcionam de segunda a quinta das 8h00 às 12h30, sexta até o meio dia, e nas quintas pela tarde (13h30 as 17h00).

Sobre custos (estimados):

  • Tradução: 18 euros
  • Exame médico - 35 a 60 euros
  • Auto escola (2 horas de aula + custos da burocracia): de 270 a 320 euros (paguei 309).
  • Taxa da prova prática: 60 euros
  • Impressão da carteira de motorista: 60 euros

Passada e aprovada a prova, a parte ruim é que, uma vez que você consegue a carteira austríaca, a brasileira ficará retida pelas autoridades austríacas. Uma opção parcial, seria pedir uma segunda via da carteira de motorista brasileira.

Ainda não fiz a prova, não sei como são as aulas, nem passei pelo exame médico. Quando conseguir terminar isso tudo, atualizo o post.


---

MINHA EXPERIÊNCIA


  • Tradução na ÖAMTC - bem tranquilo, demora uns 30 minutos no total.
  • Exame médico - Agendei por telefone, é parecido com o exame brasileiro: vista, mobilidade.
  • Verkehrsamt - Leve as fotocópias antes. Lá custa bem caro (50 centavos por folha). Depois de entregar a papelada, demorou 2 meses pra obter a autorização para as aulas.
  • Estudei a sinalização de trânsito nesse link aqui.



Um comentário:

  1. Comentários do Cesar Ozolins Manzione

    Sei que temos alguns posts aqui falando de como funciona trocar a CNH brasileira aqui na Áustria, mas acho que nunca li um texto compreensivo de como o teste ocorre. Como efetuei a troca de duas categorias (A e B ), achei melhor descrever como é o teste.
    As outras informações que temos aqui já são bem úteis para iniciar o processo (ir à autoescola, depois às autoridades, etc) então não repetirei essa parte.
    Após a autoescola receber o OK das autoridades já é possível marcar o teste prático (após feitas as aulas práticas – 1 para cada veículo).
    O teste ocorre da seguinte forma (claro, há variações que dependem do instrutor, mas em geral devem seguir o mesmo procedimento):
    CARRO – 3 manobras básicas devem ser feitas no local do teste – baliza, estacionamento perpendicular (como numa vaga de shopping) e inversão de sentido numa rua. Perguntas sobre o carro (fluidos, pressão de pneus, problema com bateria, etc.) podem ser feitas (no meu caso não foram).
    Após passar no teste interno há 25 minutos de direção pelas ruas e rodovias. O examinador vai atrás e fica olhando pelo espelho suas reações, indicando se é pra virar à direita ou à esquerda (ficando quieto, sempre em frente). Há que saber as regras de direção austríacas (inclusive placas, já que há placas que não temos no Brasil – não entrada, área residencial, etc), e ele pode fazer perguntas sobre elas.
    No meu caso o examinador, antes de iniciarmos o exame externo, perguntou 4 coisas: (i) quando ocorre uma emergência na estrada, o que deve ser feito (pisca alerta, estacionar em local seguro, colocar o colete de segurança, verificar a estrada para ver se pode sair com segurança e depois sair, colocando o triângulo); (ii) onde era o botão de desembaçar o vidro traseiro; (iii) como ligar o farol alto; (iv) como ligar e desligar a lanterna.
    Após completo o teste, se aprovado, ele retém a carteira, dá o papel que permite dirigir por 4 semanas (até que a carteira chegue), e o pedido de transferência bancária para o pagamento da emissão da carteira.
    MOTO – completamente diferente do que temos no Brasil. Primeiro o examinador faz perguntas sobre a moto em si (no meu caso foi para explicar todas os botões e controles dela, o que se consegue conferir no pneu - pressão - e o que pode ser checado na corrente - lubrificação e folga). No teste dentro da área de teste, há o slalom lento, seguido pelo 8. Até aqui tudo normal. Porém há testes de frenagem e controle que não temos no Brasil. No primeiro teste de frenagem você deve atingir 30Km/h e frear de forma segura dentro de um retângulo determinado por 4 cones (do tamanho da moto). O segundo teste você acelera, devendo passar pela marca delimitada a 50Km/h e frear com segurança na segunda marca mais à frente. O último teste de controle é acelerar a 50Km/h (como no segundo), mas ao invés de frear tem que desviar, à esquerda, de um obstáculo (cone). Outros testes como curva fechada saindo parado, podem ser pedidos, mas estes acima são obrigatórios.
    Passando por essa parte, há também o teste em rua. Na rua o instrutor, pelo walkie talkie (fone de ouvido) dará as direções (se não falar nada, sempre em frente).
    A dica que o pessoal normalmente coloca aqui (a regra que eles chamam de 3S) de olhar no espelho, no espelho externo e em cima do ombro também se aplica para o exame de moto. E isto deve ocorrer antes de ligar a seta e depois, quando for entrar.
    As outras dicas, claro, serão dadas pela auto escola (eu recomendo a comprar o encarte que eles possuem com regras e placas em inglês, ajuda muito).
    Por fim, aqui a carta de moto é dividida em AM, A1, A2 e A. No meu caso, pela idade eu já pude fazer o teste para a A (que comporta motos grandes). Mas dependendo da idade talvez seja possível só pegar as menores.
    Espero que ajude.

    ResponderExcluir